Unidade de Emergência de Saúde Pública decidirá sobre isolamento profilático de Vincent Thill

Foto: DR

O secretário regional de Saúde e Proteção Civil referiu hoje que a situação de exceção que dispensa o jogador luxemburguês do Nacional, Vincent Thill, da obrigatoriedade de cumprir confinamento de cinco dias à chegada à Madeira “fica ao abrigo da autoridade regional de saúde”.

“O campeonato nacional decorre porque há um plano de testagem de cerca de três de testes por semana, com um teste também antes do jogo, e a FIFA tem o mesmo plano de testagem”, começou por referir Pedro Ramos, à margem de uma cerimónia do Dia Nacional do Dador de Sangue. “Temos de ter em atenção essa situação e conforme aquilo que decorrer, quando o jogador chegar será a Unidade de Emergência de Saúde Pública a decidir se tem de fazer um isolamento profilático ou se todos os testes foram negativos enquanto ele esteve em estágio.”

Recorde-se que Vincent Thill era um dos 10 futebolistas internacionais de Nacional e Marítimo que não estavam autorizados a juntar-se às respetivas seleções, uma vez que a Resolução n.º 1032/2020 publicada no Jornal Oficial da RAM, indica que todos os viajantes residentes na Madeira que desembarquem nos aeroportos regionais em voos oriundos de qualquer território exterior à RAM, estão obrigados a efetuarem o segundo teste PCR de despiste ao SARS-CoV-2, permanecendo em isolamento entre cinco a sete dias, até o resultado do teste negativo.

Ontem, porém, foi anunciado que Vincent Thill havia sido autorizado a viajar para representar a seleção luxemburguesa, abrindo-se assim uma exceção. Assim, Thill poderá agora ser utilizado nos próximos dois jogos da seleção nacional do seu país. O primeiro já este sábado, em Dublin, frente à República da Irlanda, e na próxima terça-feira, frente a Portugal.

Deixe um comentário