União promete “verdade” e lamenta situação dos colaboradores

Foto: © CF União

O União reagiu ao comunicado do plantel, que dava conta da insatisfação para com a administração da SAD, começando por lamentar a “situação de atraso em que se encontram os profissionais do clube”.

A administração invoca ainda o “estado de emergência”, situação que terá repercussão nos apoios atribuídos ao clube. Os responsáveis pela gestão do clube afirmam ainda que continuarão “a falar a verdade aos sócios e aos profissionais” e não pactuará “com injustiças, faltas de respeito, e sobretudo com atitudes que põem em causa a marca União da Madeira”.

Leia a comunicado na íntegra:

“Na sequência das notícias vindas a público no dia de hoje através de um comunicado tornado público por atletas do Clube de Futebol União da Madeira, SAD, somos a informar os sócios do Clube Futebol União que:

1. Lamentamos profundamente a situação de atraso em que se encontram os profissionais do clube, que já são perfeitamente conhecidas por todos e reconhecidas por nós desde a nomeação para a administração da SAD.

2. Nas últimas semanas, e mais nomeadamente nos últimos dias pelas razões que todos sabemos e que enfrentamos, o cenário de dificuldades foi-se tornando mais grave a cada dia, somando-se aos erros tremendos de gestão cometidos pela anterior administração, os problemas gravíssimos causados pela suspensão total de todas as actividades devido ao COVID-19, mesmo aquelas que ainda resultavam em algumas receitas para a SAD.

3. Igualmente, a subvenção oficial do Governo Regional da Madeira prevista para esta altura não foi ainda recebida pela SAD, nem se sabe quando será paga, por conta do actual estado de emergência que todos vivemos.

4. Sem receber subvenções oficiais, e perante o agravamento da situação financeira dos Atletas, Equipa Técnica e Alguns Elementos do Departamento de Futebol do clube, alguns elementos da administração e outros adeptos unionistas emprestaram o seu dinheiro pessoal para tornar possível a regularização de alguns meses de trabalho dos nossos profissionais e minimizar assim as suas naturais dificuldades.

5. Na sequência da suspensão das competições decretadas pela Federação Portuguesa de Futebol, foi feito mais um esforço tremendo, com o apoio de administradores, sócios do União e fornecedores, para garantir a viagem daqueles que manifestaram vontade de estar junto com as suas famílias durante esta fase de suspensão da atividade desportiva.

6. A capacidade financeira dos Administradores e dos particulares que emprestaram capital à sociedade para minimizar estes problemas atingiu os limites das suas possibilidades.

7. Por tudo o exposto, e não obstante compreendermos a grave situação em que os Atletas, Equipa Técnica e Alguns Elementos do Departamento de Futebol se encontram, lamentamos que os mesmos se deixem instrumentalizar por uma “quinta coluna” que prefere falar nas esquinas e que não apresenta quaisquer soluções reais para resolver os problemas da SAD e dos seus profissionais.

8. Por muito que custe enfrentar esta dura realidade, continuaremos a falar a verdade aos sócios e aos nossos profissionais e não pactuaremos com injustiças, faltas de respeito, e sobretudo com atitudes que põem em causa a marca União da Madeira, que está muito acima dos problemas que esta sociedade enfrenta, pois por muita razão que possa assistir aos profissionais do União, há locais e formas próprias e adequadas de fazer valer os seus direitos.”

Deixe um comentário