Seis ralis e sete rampas para a temporada de 2021

FPAK, AMAK e clubes reuniram hoje para decidir os ralis e rampas de 2021. Um encontro por videoconferência que começou às 19:30 e terminou pelas 22:15.

Ficou decidido que Rali da Calheta abre a temporada em maio, depois Rali da Ribeira Brava e Rali do Marítimo – Machico.

5 a 7 de agosto o Rali Vinho Madeira, seguindo-se à prova rainha, o Rali Municípios de Câmara de Lobos – Funchal, com a época de ralis a ser fechada com o Rali Faial – Santana XXI em outubro.

De fora do calendário de 2021 ficou o Rali de São Vicente.

A ideia é realizar um rali por mês.

Quanto às rampas ficou decidido que a Rampa da Matur abre o calendário em maio.

Depois Rampa do Monte, Rampa do Santacruzense, Rampa da Ribeira Brava, Rampa do Porto Moniz, Rampa da Camacha e Rampa do Paul do Mar a fechar em novembro.

A ideia é também fazer uma rampa de mês a mês, ou próximo disso, já que o mês de outubro tem duas provas.

De fora do calendário deste ano fica a Rampa da Ponta do Sol.

Este calendário de provas será apresentado por Pedro Araújo, diretor da FPAK, e António Abel, presidente da AMAK, a outra parte interessada no processo, os pilotos dos ralis, das rampas e dos clássicos, para aprovarem ou acertarem os dias das provas.

Quanto ao campeonato de Clássicos arranca também em maio com a Rampa dos Barreiros englobada no Madeira Classic Show, depois Rali Oeste, Rali 100 Milhas, seguindo-se a prova rainha, a Volta à Ilha e o calendário fecha em novembro, com a Clássica do Caminho dos Pretos.

Sendo certo que o grande adversário da temporada de 2021 será novamente a pandemia, se vai ou não permitir que estas provas vão todas para a estrada.

O tempo o dirá…

Deixe um comentário