Polícia chamada ao Complexo Desportivo do União

Foto: © CF União

A Polícia de Segurança Pública foi chamada há momentos ao Complexo Desportivo do União, no Vale Paraíso.

Em causa a proibição, por parte de Sérgio Nóbrega, presidente da direção e da SAD ‘Azul-amarela” e de Estanislau Barros, presidente da Assembeia Geral, respetivamente, à entrada de jovens da formação do CF União 1913, que se apresentaram no complexo para treinar.

No âmbito do levantamento da medidas de combate à covid-19, o CF União 1913 convocou os seus atletas para um treino no Vale Paraíso, no entanto, à chegada foram barrados por Sérgio Nóbrega e Estanislau Barros, que alegam, que o contrato entre as duas entidades foi renunciado já no ano passado, conforme adiantou ao JM Sérgio Nóbrega. “O CF União 1913 já sabia desta situação, já sabia que não tinha autorização. Fizeram-se convencer, mas o contrato foi renunciado”, começou por dizer para logo de seguida acusar os responsáveis pelo CF União 1913 de irresponsabilidade. “Isto é de uma total irresponsabilidade. O CF União é só um. A SAD é quem gere este espaço e não autoriza a entrada de pessoas estranhas ao complexo”, disse à nossa reportagem.

Do outro lado, Jaime Gouveia, presidente do CF União 1913, tem outra interpretação e alega a existência de “um contrato que nos legitima a usar estas instalações”, explicou para depois solicitar a intervenção do Governo Regional, “enquanto credor no processo de insolvência”.

Jaime Gouveia adianta mesmo que vai acionar “todos os meios legais” e que “não vai jogar pedras a ninguém”, garantindo que “não vou deixar o União morrer, um clube que está acima das pessoas”.

A PSP está no local.

Deixe um comentário