Paulo Alves: «Uma vitória amanhã será o click para obter outros resultados»

Foto: DR

À procura de uma vitória. Será este o lema do plantel do União da Madeira, quando no sábado, às 16 horas, entrar em campo, na Ribeira Brava. É que os madeirenses já não vencem há cinco jornadas, tendo averbado dois empates e três derrotas. Agora, os madeirenses terão pela frente um Penafiel que mudou de treinador e que também está em maré de desaires. Paulo Alves acredita que o click que falta, um triunfo, poderá acontecer já este sábado.

“A equipa não fez um mau jogo em Guimarães e marcou até numa fase onde o merecia. O problema foi depois, pois tivemos situações claras para marcar e não o conseguimos e era isso que permitiria tranquilizar a equipa. Acabaram por empatar num ressalto de bola, mas antes tivemos duas jogadas claramente para fazer o 2-0. É isso que está a falhar, temos de ser mais eficazes. Em termos emocionais a equipa, como já não ganha há algum tempo, quer conseguir essa vitória e por vezes perde lucidez”, começou por afirmar o técnico da formação da Madeira.

E falou depois sobre a perda de Danilo Dias e Betinho: “Todos percebem um pouco a perda de confiança. Por motivos óbvios contávamos com os dois jogadores que se lesionaram e a equipa abalou um bocadinho. Mas isso já está para trás e temos de seguir o nosso caminho, sendo fortes e determinados, procurando obter os resultados. Queremos vencer amanhã e com esse click a equipa poderá ter outro desempenho e obter outros resultados”.

Confrontado depois sobre a mudança no comando técnico no Penafiel, o líder dos azuis e amarelos desvalorizou a situação: “Não nos preocupa muito a mudança do treinador do Penafiel, já estudámos o adversário e sabemos que vai ser um jogo difícil. O importante é conseguirmos impor o nosso futebol e conquistar uma vitória, que os nossos adeptos também já anseiam por isso. O nosso adversário também quer ganhar, mas temos de fazer tudo para vencer”.

Quanto a diferenças na sua ex-equipa: “Entraram muitos jogadores novos, é verdade que conheço alguns que ficaram, mas altera muitas coisas, sendo uma equipa difícil e não é pelo facto de eu ter sido treinador do Penafiel que estamos em vantagem”.

Por último, revelou que “os dois jogadores que estavam à experiência não vão ficar e o único contratado é o Petar que precisa de tempo, terá de ganhar ritmo para jogar durante alguns minutos”. “Acreditamos que vai poder dar o seu contributo à equipa o mais rápido possível”, concluiu.

Deixe um comentário