Paulo Alves: «Todos estão a dar o melhor para reagir à má fase»

Foto: DR

A semana de trabalho no União da Madeira foi de recuperação da parte psicológica de um grupo que sentiu a última derrota caseira frente ao Leixões e que já não vence na 2.ª Liga há quatro jornadas. Paulo Alves está consciente que a fase não é a melhor mas acredita que este domingo, frente ao Sertanense, pode ser o ponto de viragem paras novas exibições positivas e com vitórias.

“Tivemos que ter alguma atenção ao aspeto emocional dos jogadores e acredito que reagiram bem. Esperemos que dê resultados práticos já este domingo no jogo da Taça de Portugal. Não vale a pena enganar-nos a nós mesmos. A nossa fase não é a melhor, mas todos estão a dar o melhor para reagir rapidamente”, começou por revelar em relação ao que foi a semana de trabalho do seu grupo. Quanto ao segredo para ultrapassar este momento, o líder dos madeirenses foi direto: “A chave é começar a ganhar, é o tónico fundamental. A equipa ressentiu-se de algumas situações que acontecem no futebol, não com a gravidade e intensidade que nos aconteceu ao nível das lesões e que também afetaram o grupo em termos emocionais. Mas já passou e vamos contar com os que estão e dar a volta às coisas”.

Adversário com qualidade

Ditou o sorteio da segunda eliminatória da prova, que os azuis e amarelos se desloquem ao reduto do Sertanense. O treinador já sabe o que vai encontrar: “Dentro do que podemos fazer ao nível de saber quais são as qualidades do adversário, já o fizemos e sabemos que vamos encontrar uma boa equipa, com bons jogadores e com caraterísticas interessantes. Em termos anímicos, a sua motivação é grande e claro que vai ser um jogo muito difícil para nós. Temos de pensar nas nossas competências e qualidades, impondo o nosso jogo, Ser de um escalão superior se não trabalharmos, não vale nada.”

Quanto aos jogadores que vai utilizar, Paulo Alves admitiu alguns problemas. “Neste momento estamos limitados em termos de opções, mas vamos escolher o melhor onze no sentido de conseguir o melhor resultado possível”, adiantou.

Hoje, o União treinou à porta fechada, no relvado da DRJD, na Camacha, enquanto amanhã, às 10 horas, volta a trabalhar mas desta feita no seu complexo desportivo, mas sempre longe do olhar dos jornalistas.

Deixe um comentário