Mudança de capitão não é castigo

Foto: DR

Até ao jogo com o Portimonense o capitão do Nacional tinha sido sempre Rúben Micael. Contudo, foi Camacho, mesmo com Rúben Micael em campo, que envergou a braçadeira. Tudo normal, segundo o diretor de comunicação do Nacional, Saturnino Sousa: «Não existe qualquer caso nem castigo nesta mudança de capitão. Apenas uma forma de valorizar outro jogador que também pertence ao grupo de capitães.»

Refira-se que além de Rúben Micael e Camacho, Daniel Guimarães, Rui Correia e Júlio César integram o grupo de capitães.
Noutro âmbito, o Nacional entregou ontem ao Banco Alimentar Contra a Fome da Madeira pilhas e lâmpadas no âmbito da campanha Pilhas por Alimentos.

 

Deixe um comentário