Madeira Em Risco de Perder a Sua Única Equipa na Liga BWIN

A Madeira é uma região fundamental do futebol português: quase todos os anos tem duas equipas fortes no principal campeonato nacional: Marítimo e Nacional. Após a descida dos alvinegros, este ano é o Marítimo que está em risco de descer e de deixar a Madeira sem representantes na Liga BWIN

Após terem visto o Marítimo a permanecer com alguma dificuldade na Liga BWIN e o Nacional da Madeira a falhar a subida ao principal escalão do futebol português no final da temporada 2021/2022, os madeirenses ainda não tinham visto o pior de 2022.

A verdade é que os dois principais clubes da Madeira conseguiram ainda fazer pior na segunda metade do ano. 2022 vai ficar marcado na história como o annus horribilis do futebol madeirense. Mas será que 2023 consegue ser pior?

Ainda Há Muito Para Jogar

A verdade é que ainda há muito para jogar de forma a evitar que o arquipélago, terra de excelência do futebol português, fique sem representação entre a elite do futebol nacional.

A dúvida paira no ar e com maior intensidade entre a comunidade de apostadores do PortugalCasino. Aceitam-se apostas nas principais casas de apostas de Portugal, entre as quais se contam a Betano, o main sponsor do Marítimo. Os maritimistas, os madeirenses e os apostadores nacionais podem ler uma review da Betano do PortugalCasino e ficar a saber tudo sobre uma das melhores casas de apostas em Portugal.

Marítimo: Ainda a Tempo da Salvação?

À entrada para 2023, os verde-rubros encontram-se num impensável 17º lugar, com apenas 7 pontos conquistados em 14 jogos. A tábua de salvação do 16º lugar, que ainda obriga a um playoff, está já a 5 pontos, sendo que a permanência definitiva do 15º lugar está a 6.

A época 2022/2023 tem sido um verdadeiro pesadelo para os maritimistas, que começaram sob o comando de Vasco Seabra, que tinha prometido na fase final da temporada anterior após uma excelente recuperação, mas que claudicou no início da atual temporada. Seguiu-se João Henriques, que claramente não conseguiu inverter a situação, e que saiu para dar lugar a José Gomes, o homem escolhido para levar a nau do Marítimo a bom porto.

Vamos a meio da temporada e tudo é, naturalmente, ainda possível, apesar de, pela primeira vez desde há várias décadas, o futebol madeirense poder ficar sem representantes ao mais alto nível, depois do brilharete de 2015/2016, altura em que o União da Madeira se juntou ao Marítimo e ao Nacional para formar um inédito trio de participantes madeirenses.

Nacional da Madeira: Tarda o Regresso

A segunda equipa do arquipélago com maior número de presenças na Primeira Liga continua a lutar para voltar a marcar presença na competição.

Num sobe e desce desde 2019, o Nacional parece ver gorada a possibilidade de esta ser a época do regresso definitivo ao convívio entre os grandes. Os nacionalistas ocupam, à 14ª Jornada, um modesto 13º lugar, com apenas 16 pontos, e mais perto dos lugares de despromoção do que propriamente dos de subida.

Ainda assim, e perante o fraco pecúlio da primeira metade, época vai apenas a meio e tudo pode mudar para os comandados de Filipe Cândido, que parecem estar a atravessar uma excelente fase, com várias vitórias e uma notável qualificação para os oitavos de final da Taça de Portugal.

 

Deixe um comentário