Gonçalo Abreu: «Há muitos candidatos mas no final vamos ver quem é mais forte»

Foto: DR

É uma das caras novas do União da Madeira e regressa à sua terra Natal. Gonçalo Abreu, de 31 anos, pode trazer alguma experiência à frente de ataque dos madeirenses. Sobre a escolha do técnico Paulo Alves, considera que foi uma boa opção.

“Surgiu este projeto do União que considero bastante interessante e fico contente por voltar a casa e quero dar o meu melhor para ajudar a equipa”, começou por afirmar. Sobre a “segundona”: “A 2ª Liga é um campeonato competitivo e acho que vamos conseguir formar uma boa equipa. Vamos pensar jogo a jogo e no final logo se vê o que vamos conseguir”. E quanto à sua experiência na prova, acha que “pode ser importante e vou tentar passar isso aos meus colegas. Queremos fazer um bom grupo de trabalho e os resultados por certo irão aparecer”. Em relação aos adversários, acha que “vamos apanhar muitos campos difíceis, há muitos clubes a apostar na subida, mas dentro de campo é que vamos ver quem é mais forte”.

Esta temporada, os azuis e amarelos terá um dérbi com o Nacional. “O jogo com o Nacional é um dérbi da Região mas há outras equipas com que nos temos de preocupar e não é só o Nacional”, afirmou não se alongando na questão da rivalidade.

Paulo Alves é uma boa escolha

Agora, vestindo as cores unionistas, o extremo vai reencontrar o técnico Paulo Alves, com quem trabalhou no Penafiel. “O Paulo Alves é um treinador experiente e já o demonstrou na 2ª Liga e acho que o União fez uma boa escolha. Esperemos que consiga obter os resultados que todos pretendemos”, revelou. E negou depois que tenha alguma vantagem para a titularidade “pois todos temos de lutar por um lugar. Não vou ser beneficiado”.

Deixe um comentário