Francisco Abreu segue para circuito na Holanda

Foto: DR

A realização de mais um jornada dupla para Francisco Abreu, desta vez no famoso circuito holandês de Assen, dando início à segunda metade do ‘TCR Europa 2018’.

Esta é uma estreia absoluta para jovem piloto da Peugeot Portugal e Sports & You no circuito holandês e que, a acelarar ao volante do seu Peugeot 308TCR nterá outros rivais com alguma experiência.

Impulsionado pela evolução de rendimento e resultados registados ao longo das quatro primeiras corridas, o piloto madeirense irá adotar a estratégia de sempre: abordar os Treinos Livres com tranquilidade e consistência, para estar em condições de disputar as Qualificações da manhã de sábado e ambas as Corridas (uma no sábado e outra no domingo) de uma forma segura, regular e competitiva.

“Depois de circuitos espetaculares, como Paul Ricard e Zandvoort, a que se seguiram os míticos SPA e Hungaroring, vou agora para outra pista não menos famosa e que também apenas conheço dos simuladores”, refere Francisco Abreu. “É um circuito muito apreciado internacionalmente, mas a minha prioridade é, para já, conhecer bem o seu traçado e, juntamente com a equipa, preparar o carro da melhor forma possível para as condições em pista, até porque Assen está numa zona bastante propensa a chuvas, mesmo nesta altura do ano. De qualquer modo, há que fazer uma boa Qualificação para conseguir boas posições de partida para ambas as corridas”.

Relativamente ao 308TCR, o piloto madeirense destaca os bons progressos que tem obtido ao longo desta sua primeira temporada no TCR Europa, em que a essência está na aprendizagem e melhoramento consistente do conjunto carro-piloto: “O carro já provou que é mesmo muito competitivo. Pela minha parte, e com o empenho de todos na Sports & You, tento fazer a melhor leitura possível dos dados que vamos adquirindo acerca do carro, transmiti-los aos mecânicos e engenheiros e, assim, chegar a um set-up cada vez mais eficaz e fiável em prova. Sinto que a minha habituação ao carro é cada vez mais firme, mas nunca me esqueço de que tudo isto é um processo gradual, e que a consistência demora o seu tempo. De qualquer forma, mantenho a mesma atitude e motivação da prova passada, em Hungaroring, que me permitiu andar bastante depressa e liderar a segunda corrida durante algumas voltas”.

Deixe um comentário