Carlos Pereira considera “lamentável” Rui Fontes afirmar desconhecer contas do Marítimo

Foto: Joana Sousa

O atual presidente e recandidato à liderança do Marítimo entregou há instantes a lista que pretende continuar a merecer a confiança da maioria dos associados do clube.

Garante “estar feliz com a juventude que hoje dá entrada para o próximo quadriénio” e regozija-se com “o trabalho que por nós foi desenvolvido, que é de facto, merecedor de elogios, até por parte da lista adversária.”

Constata que foi o labor da direção por si presidida que acrescentou “valor ao património que hoje tem o Marítimo que é, como é público, de 96 milhões de euros” e espera que a os membros atuais, “com experiência empresarial, com experiência de direção desportiva” possam “com certeza continuar o bom rumo para o Marítimo”.

Alerta ainda para a importância de “não enganar os sócios, porque falar de fundos sem saber do que fala é melhor não falar. Falar de fundos que possam vir a ser criados, quando os fundos são regulados pela CMVM, o que quer dizer que não são todos que podem criar fundos, ainda por cima aqueles que não têm nenhuma credibilidade na banca.”

Vinca, aliás, que a lista que encabeça “não venderá a nossa alma a ninguém, muito menos a fundos que têm custos elevadíssimos, e esses custos elevadíssimos o Marítimo terá que os pagar no futuro, e num futuro bem rápido”, sublinhando que hoje o clube “tem capacidade e credibilidade para se financiar, e nas alturas que foram necessárias foi à banca, foram os seus diretores que conseguiram e que fizeram financiamentos para que hoje o clube esteja na posição em que está.”

Criticou também o desconhecimento de Rui Fontes acerca das contas da instituição. “Dizer que não conhece as contas é lamentável, é triste que alguém se candidate a uma instituição da grandeza do Marítimo dizer que não conhece, que ninguém conhece, quando todos os anos as contas são aprovadas depois de auditadas, e são fiscalizadas.”

Deixe um comentário